Candidíase vaginal: o que é, sintomas e opções de tratamento - Tudo Para Mulheres

Candidíase vaginal: o que é, sintomas e opções de tratamento

candidiase vaginal

A candidíase vaginal é uma das infecções mais comuns nas mulheres devido à menor distância entre a uretra e a vagina e ao desbalanço da microbiota vaginal, em que há o favorecimento do aumento da quantidade de fungos do gênero Candida, na maioria das vezes Candida albicans.

O desbalanço da microbiota vaginal e aumento da quantidade de fungos do tipo Candida pode estar relacionado com estresse, maus hábitos de higiene, uso excessivo de antibióticos ou corticoides, gravidez e diminuição do sistema imunológico devido a outras doenças, favorecendo o crescimento dos fungos.

Os sintomas de candidíase vaginal são bem característicos, podendo ser percebido pela mulher coceira e sensação de ardência na região íntima e presença de corrimento de cor branca. Assim que a mulher perceber qualquer sinal de candidíase, é importante ir ao ginecologista para que seja iniciado o tratamento mais adequado, que é feito principalmente com antifúngicos, que pode ser em forma de comprimido ou pomadas.

Sintomas da candidíase vaginal

Os sintomas da candidíase vaginal, geralmente, aparecem quando a imunidade da mulher está diminuída, sendo os principais:

  • Corrimento de cor branca, tipo leite coalhado;
  • Coceira intensa e sensação de ardência na região íntima;
  • Dor e ardência durante o contato íntimo;
  • Inchaço e vermelhidão da região íntima.

A mulher com estes sintomas deve consultar o ginecologista para fazer o diagnóstico da infecção através de um exame à vagina, como o Papanicolau e, caso necessário iniciar o tratamento adequado.

Apesar desses sintomas serem frequentes na candidíase vaginal, esses mesmos sintomas também pode ser indicativos de outras alterações ginecológicas.

Como é feito o tratamento

O tratamento da candidíase vaginal deve ser recomendado pelo ginecologista e é feito com a aplicação de pomadas antifúngicas diretamente na vagina ou uso de comprimidos, podendo ser recomendado o uso de Nistatina, Miconazol, Itraconazol ou Cetoconazol.

O uso desses medicamentos deve ser feito de acordo com a orientação do ginecologista e durante o tratamento, principalmente no caso de ser feito com o uso de pomadas, é recomendado evitar relação sexual.

Em alguns casos, também pode ser utilizado um comprimido antifúngico, como Fluconazol, em dose única oral ou 3 doses, durante 3 dias separados de 72 horas. Além disso, especialmente em situações de candidíase vaginal recorrente é necessário manter o uso do comprimido 1 vez por semana durante pelo menos 6 meses, ou de acordo com a recomendação médica. Tanto os comprimidos por via oral como os pomadas são eficazes, no entanto, os sintomas diminuem mais rapidamente quando o tratamento é feito diretamente na vagina, com pomada, comprimido ou óvulos. 

Tratamento caseiro para candidíase vaginal

Um ótimo tratamento caseiro para candidíase vaginal é lavar a região íntima com água e vinagre, na proporção de 4 colheres de vinagre para meio litro de água. Além disso, é também importante adotar alguns cuidados para evitar a recorrência da candidíase vaginal, como:

  • Lavar e secar bem a região íntima antes de dormir;
  • Utilizar roupa pouco apertada e de algodão;
  • Dar preferência para a ingestão de probióticos e lactobacillus, como iogurte;
  • Dormir sem calcinha;
  • Fazer a higiene íntima com gel vaginal com ph entre 3,8 e 4,5, evitando todos os produtos e sabonetes com químicos.

Também é importante evitar alimentos ricos em carboidratos, gordura e açúcar, pois são a principal fonte de alimento do fungo causador da candidíase vaginal. Além disso, uma opção para melhorar a microbiota vaginal e evitar a candidíase vaginal é o consumo de lactobacilos.

Alimentação para curar mais rápido

Uma ótima estratégia para curar a candidíase é tomar água com limão, sem adoçar, durante o dia, mas além disso colocar iogurte natural dentro da vagina é uma outra ótima estratégia natural, que tem ótimos resultados.